Seja bem vindo, hoje é Quinta-Feira dia 26 de Abril de 2018.

MEMÓRIAS PÓSTUMAS

THE TRAGIC DEATH OF CELEBRITES
ATOR E CINEASTARECEIVING AN
HONORARY OSCAR
FILMEFOTOS
CHARLIE
CHAPLIN
Biografia

Charles Chaplin (1889-1977) foi ator, cineasta, dançarino, diretor e produtor inglês.
Também conhecido por "Carlitos". Foi o mais famoso artista cinematográfico da era do cinema mudo. Ficou notabilizado por suas mímicas e comédias do gênero pastelão.
O personagem que mais marcou sua carreira foi "O Vagabundo" (The Tramp), um andarilho pobretão com as maneiras refinadas e a dignidade de um cavalheiro, vestido com um casaco esgarçado, calças e sapatos desgastados e mais largos que o seu número, um chapéu coco, uma bengala e seu marcante bigode.
Charles Chaplin (1889-1977) nasceu em Londres, Inglaterra, no dia 6 de abril de 1889.
Seu pai Charles Spencer Chaplin, era vocalista e ator e sua mãe Hannah Chaplin, era cantora e atriz. Seus pais se separam antes de Charles completar três anos. Em 1894 com apenas cinco anos Chaplin subiu ao palco e cantou a música "Jack Jones".
Seu pai era alcoólatra e tinha pouco contato com o filho. Morreu de cirrose hepática em 1901.
Sua mãe foi internada em um asilo e Chaplin foi levado para uma casa de trabalho e depois transferido para uma escola de crianças pobres.
Em 1908 emprega-se em teatros de variedades e faz sucesso como mímico.
Em 1910 iniciou sua primeira turnê nos Estados Unidos com a trupe de Fred Karmo, retornando a Inglaterra só em 1912.
Em 1913 estreia no cinema, nos estúdios Keystone Film Company, onde criou em 1915 a comédia "O Vagabundo" seu mais famoso personagem, um andarilho, pobretão, com as maneiras refinadas e a dignidade de um cavalheiro, vestido com casaco esgarçado, calças e sapatos desgastados e mais largo que o seu número, um chapéu coco uma bengala e seu marcante bigode.
Charles Chaplin dirigiu, editou e produziu vários curta e longa metragens. O cinema mudo era entendido por todos. Produziu vários filmes que se tornaram clássicos do cinema mudo, entre eles "O Garoto" em 1921, que conta a história de um bebê que acaba ficando aos cuidados de um vagabundo; "Em Busca do Ouro" em 1925, que se passa no Alasca em plena corrida do ouro; "Luzes da Cidade" em 1931, que conta a história do vagabundo que se finge de milionário para impressionar uma florista cega, por qual se apaixonou, sendo esse um filme mudo produzido na época do cinema falado; "Tempos Modernos" em 1936, que satiriza a mecanização da modernidade e "O Grande Ditador" em 1940, em que toma partido contra as perseguições raciais na Europa.
Charles Chaplin tem uma vida sentimental intensa casa-se quatro vezes, as três primeiras com estrelas do cinema.
Com 54 anos, conhece a filha do teatrólogo irlandês Eugene O'Neill, Oona, de 18 anos, que se torna sua quarta mulher e com quem vive até o fim da vida, tendo seis filhos. Perseguido pelo macarthismo, muda-se em 1952 para Corsier sur Vevey, na Suíça.
Charles Spencer Chaplin, morre em Vevey, na Suíça, no dia 25 de dezembro de 1977.

Filmografia

Carlitos Casanova, 1914
O Vagabundo, 1915
O Imigrante, 1917
Vida de Cachorro,1918
Carlitos nas Trincheiras, 1918
Idílio No Campo, 1919
O Garoto, 1921
Pastor de Almas, 1923
Casamento de Luxo, 1923
Em busca do Ouro, 1925
O Circo, 1928
Luzes da Cidade, 1931
Tempos Modernos, 1936
O Grande Ditador, 1940
Monsieur Verdoux, 1947
Luzes da Ribalta, 1952
Um Rei em Nova Iorque, 1957
A Condessa de Hong Kong, 1967

 
ATORES COMEDIANTESTHE FUNERAL OF
STAN LAUREN
FILMEFOTOS
STAN LAUREL E
OLIVER HARDY
Biografia

Os dois comediantes iniciaram sua carreira trabalhando separadamente, e a primeira vez que atuaram juntos, casualmente, foi no filme The Lucky Dog. Após um período em que trabalhavam separados em vários curta-metragens do Hal Roach Studios durante os anos 20, começaram a atuar juntos em 1926.
Em 1926, Hardy fora chamado para o filme Get’Em Young, mas foi hospitalizado após uma queimadura, e Laurel foi recrutado para o filme1 . Posteriormente, Laurel e Hardy apareceram num mesmo filme, 45 Minutes from Hollywood, interagindo em algumas cenas.
Em 1927, Laurel e Hardy apareceram juntos em Slipping Wives, Duck Soup e With Love and Hisses. O diretor supervisor do Roach Studios, Leo McCarey, observou em uma apresentação a reação da audiência, e começou a colocá-los juntos, criando assim a mais famosa dupla de humoristas da história do cinema.
Alguns de seus mais populares filmes foram Sons of the Desert (1933), Way Out West (1937), e Block-Heads (1938)2 e os curtas Big Business (1929), Liberty (1929) e The Music Box (“Caixa de Música”/ “Entregas a Domicílio”), vencedor do Óscar de curta-metragem (comédia), em 1932.
Outros filmes importantes foram Unaccustomed As We Are, de 1929, que marcou sua transição para o cinema sonoro; Brats, de 1930, com Stan e Ollie interpretando eles mesmos e seus próprios filhos; The Rogue Song, de 1930, musical em Technicolor, o primeiro que fizeram em cores; Pardon Us, de 1931, o primeiro longa-metragem.
Laurel e Hardy também atuaram para o USO, suporte das Forças Aliadas durante a Segunda Guerra Mundial.
Em 1940, a dupla deixou o Roach Studio, aparecendo em oito comédias “B” da 20th Century Fox e Metro-Goldwyn-Mayer, entre 1941 e 1944.
A partir de 1941, os filmes da dupla foram perdendo a qualidade.
De 1945 a 1950, ao invés do cinema, a dupla se concentrou mais nas apresentações teatrais. Em 1947, planejaram ficar durante 6 semanas na Grã-Bretanha; o biógrafo John McCabe relata que eles continuaram no Reino Unido e França até 1954.
Fizeram seu último filme, Atoll K, na França entre 1950 e 1951, e retiraram-se do cinema. Ao todo, fizeram cerca de 106 filmes juntos, sendo 40 curta-metragens sonoros, 32 curta-metragens no cinema-mudo, 23 longa-metragens, e 11 filmes como convidados.
Morte de Hardy
Em maio de 1954, Hardy teve um infarto do miocárdio; em 1955, a dupla foi contratada, juntamente com Hal Roach, Jr., para uma série de TV baseada na fábula da Mother Goose (“Mamãe Ganso”), Laurel and Hardy's Fabulous Fables. Laurel, porém, sofreu um AVC, com uma lenta convalescença. Hardy teve um AVC em 15 de setembro de 1956, ficando paralisado e acamado por vários meses, sem falar e se mover.
Em 7 de agosto de 1957, Oliver Hardy morreu, aos 65 anos; Laurel não compareceu ao seu funeral, pois estava trabalhando em "Babe Would Understand".
Laurel decidiu, a partir de então, não mais trabalhar sem o seu amigo de tanto tempo, e passou a escrever para comédias. Os amigos diziam que Laurel ficara totalmente arrasado após a morte de Hardy, sem nunca ter se recuperado.
Morte de Stan
Stan viveu seus últimos anos em um apartamento no Oceana Hotel, em Santa Monica. Jerry Lewis era um dos muitos comediantes que o visitavam, aproveitando suas sugestões para a produção de The Bellboy (1960).
Faleceu vítima de um ataque cardíaco, aos 74 anos. Seu corpo está enterrado no Forest Lawn- Hollywood Hills Cemetery, em Los Angeles.

Filmografia

1931 Pardon Us
1932 Pack Up Your Troubles
1933 Fra Diavolo (aka The Devil's Brother)
Sons of the Desert 1934 Babes in Toyland (aka March of the Wooden Soldiers)
1935 Bonnie Scotland
1936 The Bohemian Girl
Our Relations
1937 Way Out West
1938 Block-Heads
Swiss Miss
1940 A Chump at Oxford
Saps at Sea
1941 Great Guns (20th Century Fox)
1942 A-Haunting We Will Go (20th Century Fox)
1943 Air Raid Wardens (MGM)
Jitterbugs (20th Century Fox)
Dancing Masters (20th Century Fox)
1944 The Big Noise (20th Century Fox)
Nothing But Trouble (MGM)
The Bullfighters (20th Century Fox)
1939 The Flying Deuces
1951 Utopia (aka Atoll K, Robinson Crusoeland)

 
ATOR E CINEASTAFILMEFOTOS
AMÁCIO
MAZZAROPI
Biografia

Descendente de italianos e portugueses;
Filho de um casal de classe média, Dona Clara e Bernardo, um próspero dono de mercearia, cresceu sem problemas financeiros, mas com muita preguiça mal conseguiu terminar o ginásio;
Do avô Amácio Mazzaropi (imigrante italiano que foi trabalhar nas terras do Paraná) não herdou só o nome, mas o gosto pela vida do campo;
Aos 16 anos, foge de casa para ser assistente do faquir Ferri;
Montou o Circo Teatro Mazzaropi e Companhia Teatro de Emergência em 1940;
Em 1948, vai para a Rádio Tupi onde estréia o programa "Rancho Alegre";
Com a estreia da televisão no Brasil em 1950, ele leva seu programa e torna-se um estrondoso sucesso;
Abílio Pereira de Almeida, diretor da produtora Vera Cruz, procura um tipo diferente e curioso para estrelar uma comédia e ao assistir Mazzaropi na televisão não tem dúvida e o contrata para atuar em "Sai da Frente";
Participou de oito filmes como ator contratado;
Fundou a Pam Filmes - Produções Amacio Mazzaropi em 1958 e, a partir daí, passa a produzir e dirigir seus filmes, sendo sua primeira produção "Chofer de Praça", em que ele emprega todas as suas economias para alugar os estúdios da Cia Vera Cruz e as filmagens externas foram rodadas na cidade de São Paulo, com os equipamentos alugados da Vera Cruz;
Como não tinha dinheiro para fazer as cópias do filme pronto, pega o carro e sai pelo interior afora fazendo shows, até conseguir arrecadar a quantia necessária;
O filme fez enorme sucesso em sua estreia;
Entre os amigos era carinhosamente chamado de Mazza;
O pano de fundo de quase todos os seus filmes era sempre uma fazenda;
A primeiras era emprestadas, mas depois ele comprou a sua, batizada de Fazenda da Santa, onde montou seus estúdios. Ali atravessa sua mais fértil fase e produz seus melhores filmes, como "Tristeza do Jeca" e "Meu Japão Brasileiro";
Em 1968, Astraugésilo de Ataide, então presidente da Academia Brasileira de Letras, escreveu um bilhete dirigido a Mazzaropi onde considerava que, "com Jeca Tatu e a Freira, Mazzaropi alcançou no cinema o mais alto nível de sua arte. É hoje, sem nenhum favor, um artista de categoria mundial". O diretor guardava o bilhete em um quadro sobre a lareira da sala;
Com inspiração na obra de Monteiro Lobato, o personagem Jeca, o caipira de fala arrastada, tímido, mas cheio de malícia, arrastou multidões para os cinemas;
Lançou um filme por ano e sempre em 25 de janeiro, aniversário de São Paulo;
Os lançamentos aconteciam sempre no cine Art Palácio porque o dono do cinema foi quem mais o apoiara no início da carreira de produtor;
Mazzaropi também passou pela TV Excelsior, fazendo parte de um programa de sucesso na época apresentado por Bibi Ferreira, "Brasil 63";
Ficou milionário e, paralelamente, produzindo leite e sendo um dos maiores fornecedores da empresa Leites Paulista;
Construiu novos estúdios e um hotel, também em Taubaté, no início dos anos 70;
Artista nato e empresário com muito tino comercial, é também desconfiado e solitário;
Nunca se casou, mas teve um filho adotivo, Péricles, que o ajudou na produção dos filmes;
Falece em 13 de junho de 1981, aos 69 anos de idade, vítima de câncer na medula, logo após iniciar sua 33ª produção, "Jeca e Maria Tromba Homem";
O império que construiu foi destruído pelos herdeiros após sua morte, com todos os seus bens indo a leilão, inclusive os filmes;
O hotel-fazenda onde está seu estúdio continua existindo, agora com o nome de Hotel Fazenda Mazzaropi, mantenedor do Museu Mazzaropi, com um acervo de mais de 6.000 peças;
Sua memória está no museu, no hotel, em uma casa de cultura, numa escola e no nome de uma rua.

Filmografia

Sai da frente - 1952
Nadando em dinheiro - 1952
Candinho - 1954
A carrocinha - 1955
Fuzileiro do Amor - 1956
O Gato de Madame - 1956
Chico Fumaça - 1956
O Noivo da Girafa - 1957
Chofer de Praça - 1958
Jeca Tatu - 1959
As Aventuras de Pedro Malazartes - 1959
Zé do Periquito - 1960
Tristeza do Jeca - 1961
O Vendedor de Linguiça - 1961
Casinha Pequenina - 1962
O Lamparina - 1963
Meu Japão Brasileiro - 1964
O Puritano da Rua Augusta - 1965
O Corintiano - 1966
O Jeca e a Freira - 1967
No Paraíso das Solteironas - 1969
Uma pistola para Djeca - 1969
Betão Ronca Ferro - 1970
O Grande Xerife - 1972
Um Caipira em Bariloche - 1973
Portugal... Minha Saudade - 1973
O Jeca Macumbeiro - 1974
Jeca contra o Capeta - 1975
Jecão, um Fofoqueiro no Céu 2 - 1977
O Jeca e seu filho preto - 1978
A Banda das Velhas Virgens - 1979
O Jeca e a égua milagrosa - 1980
Maria Tomba Homem (não concluído)

contato@webcardbrasil.com.br        
Copyright 2012 - Todos os Direitos Reservados WEB CARD BRASIL
Web Designer Leonardo R. Oliveira